fbpx

Tendências tecnológicas em saúde para 2021: a ascensão da Telemedicina e da inteligência artificial

Por Hans Fernando, diretor Médico na Vitta e Vanessa Carreiro, líder de Dados na Vitta

A pandemia COVID-19 tornou-se uma adversidade sem precedentes para facetas de diferentes indústrias, mas destaco a área da saúde e suas bruscas mudanças em um período muito curto de tempo. Embora a tecnologia no setor tenha contado com muitos avanços em um passado recente, a inovação tem sido fundamental para lidar com a nova realidade e repercussões. A telemedicina, assim como a inteligência artificial e outras tecnologias, foram e são fundamentais para resolver a crise, além de gerar crescimento futuro.

Embora sistemas tradicionais sejam frequentemente preferidos por sua confiabilidade, as empresas estão sempre procurando novas maneiras de melhorar seu desempenho, produtividade e eficiência, de forma que para entender melhor qual o rumo que a indústria de tecnologia em saúde está tomando, estudar e compreender as principais tendências é primordial.

A disseminação mundial do COVID-19 acelerou muito o uso de recursos de telemedicina. Só na Vitta, por exemplo, foram realizadas 22.259 teleconsultas em 2020 dentro dos atendimentos da nossa rede médica. Outro ponto relevante, é que o crescimento da telemedicina parece provável que continue mesmo após o fim da pandemia. Com as consultas à distância já crescendo em popularidade no ano anterior, a pandemia foi um grande impulso para o desenvolvimento da indústria. Esse boom no setor deve atingir US $185,6 bilhões mundialmente até 2026, segundo estudo da Fortune Business Insights.

Mas afinal, como funciona essa modalidade dentro da saúde? Como sempre, acreditamos que a discussão sobre o tema começa pelo acesso. Na telemedicina o acesso é facilitado ao extremo: um smartphone e conexão à internet são suficientes para um contato, 24 horas por dia, 7 dias por semana. A partir deste acesso, caberá sempre ao médico a definição de quais atendimentos poderão ser por telemedicina e quais exigirão atendimento presencial. A prática tem demonstrado à Vitta que muitas das necessidades dos pacientes podem ser encaminhadas por telemedicina. Por meio dela, o profissional de saúde pode averiguar os sintomas (manifestações relatadas pelo paciente) e boa parte dos sinais (manifestações apresentadas pelo corpo do paciente) através de câmeras e wearables. Quando houver sinais importantes para o diagnóstico que não possam ser capturados, há, então, a necessidade da consulta presencial.

Nesta teleconsulta também é possível a solicitação de exames e prescrição de receitas, de acordo com cada caso. Os resultados dos exames podem ser transferidos diretamente para o prontuário eletrônico do paciente, viabilizando um retorno mais rápido e facilitado.

Se há séculos os médicos ganharam o estetoscópio como uma importante ferramenta para o atendimento, agora, no século XXI, eles ganham a telemedicina. Da mesma forma como aconteceu no passado, houve muito debate sobre a validade do novo instrumento. A experiência mostrou e o presente confirma que o futuro pode ser bem melhor se entendermos a valiosa contribuição que novas tecnologias trazem se compreendermos que elas não são fim, porém meios para um atendimento com mais qualidade e agilidade.

Com a telemedicina não é diferente, ela agrega não apenas uma ferramenta de trabalho (como no caso do estetoscópio), mas um conjunto amplo de recursos que estão mudando para melhorar o atendimento das pessoas.

Um outro fator importante em todos esses processos é a Inteligência Artificial, que segue no mesmo tom da telemedicina: claramente não substitui os grandes profissionais da saúde e cientistas, mas que vem se consolidando como uma ferramenta fundamental na luta contra diversas doenças, tanto na avaliação de risco (prognóstico), como no diagnóstico (ajudando na interpretação de exames de imagem, por exemplo), e incluindo também o tratamento com o desenvolvimento de vacinas e remédios.

Por fim, acredito que existe um potencial inexplorado nestas tecnologias voltadas para o mercado de saúde que estão sendo desvendados através do tempo. E as inovações cada vez mais simplificam e auxiliam a vida de pacientes, médicos e administradores hospitalares a realizar tarefas em menos tempo e a uma fração do custo.