fbpx

Como o entendimento sobre saúde permite escolhas conscientes do beneficiário e influencia o contexto de sinistralidade

Uma reflexão sobre a expectativa do colaborador quanto o benefício, o papel do profissional de Recursos Humanos e a disseminação de informações sobre saúde

Por Fabiana Alves, Diretora de Relacionamento Vitta e Aldo Dal Medico, Manager Of Placement

Por que planos de saúde chamam atenção de um colaborador? Por que são tão difíceis de gerir? Como faço para ter um plano de qualidade? Por que o investimento é tão alto e os reajustes costumam ser estrondosos? São essas e muitas outras perguntas que os profissionais de Recursos Humanos, geralmente responsáveis por optar e contratar um plano de saúde dentro das empresas, fazem.  

Não é de hoje que esse benefício é visto como um dos principais atrativos na hora de um profissional optar pela recolocação ou permanência dentro de uma empresa. No Brasil, país que conta com 212 milhões de habitantes, os números ainda espantam. Apenas 47.5 milhões de pessoas – isso dá cerca de 22,7% da população – têm acesso a um plano de assistência médica, segundo os dados disponibilizados pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) em dezembro de 2020.

Deve-se dizer que a qualidade do plano de saúde traz bons frutos para a relação empresa / colaborador. Olhando pelo lado da organização, ao oferecer um benefício satisfatório, é criado um grande ponto motivacional para o time, assegurando a devida importância para eles e seus dependentes. Já do ponto de vista do colaborador, é garantido todo um suporte de atendimento quando necessário, proporcionando despreocupação por conta do fácil acesso à assistência. Apesar deste conhecimento, frequentemente, as organizações nos perguntam por que ocorre, cada vez mais, o encarecimento dos serviços da saúde privada, o que dificulta o oferecimento de um benefício de qualidade e também, sua gestão eficaz. 

Existem diversos motivos para justificar elevações de custos. É necessário falar sobre a importância do entendimento e o modo correto de utilizar um plano de saúde, não significando ‘’não utilizá-lo, mas sim, usar com sabedoria e consciência’’. Cabe à empresa que oferece o benefício, não somente disponibilizar o serviço, mas também educar o time de forma que entendam a relevância e responsabilidade que envolve ter um plano de saúde em mãos. Além disso, ensinar o beneficiário, faz com que estes fiquem menos dependentes do sistema, que por muitas vezes apresenta soluções drásticas para casos  que poderiam ser resolvidos com maior facilidade. 

Trazemos como exemplo a solicitação de cirurgias para determinadas patologias, indicações estas taxadas como solução, enquanto muitas vezes, poderiam ser substituídas por tratamentos menos invasivos e evitadas caso o beneficiário tivesse um desfecho clínico correto e eficiente, o que, consequentemente, o sujeitaria a menos riscos infecciosos, estresse, entre outros. 

Comunicar é informar e informações de qualidade empoderam cada pessoa. Empoderadas, elas podem realizar escolhas conscientes. Na Vitta, fazemos a gestão dos benefícios de saúde das empresas por meio de um ambiente de unificação de dados, acompanhamento de toda jornada e integralidade do cuidado dos nossos beneficiários. O que isso significa? 

Significa que como parte do nosso chamado em transformar a saúde do Brasil por meio de uma cultura individual que sustenta o coletivo, construímos um novo conceito de saúde, baseado em bem-estar, empoderamento e consciência. A entrega desse modelo assistencial conta também com uma equipe de saúde disponível 24/7, que influencia diretamente no relacionamento de beneficiários / saúde e também custo gerenciado.

O entendimento por parte dos colaboradores sobre a forma de como usar conscientemente o plano, é um dos fatores que interfere diretamente  no percentual da sinistralidade ao final do período de contrato. Por conta disso, o beneficiário bem embasado neste entendimento e informações, passa a compreender que possui responsabilidade sobre sua saúde. Ele pode questionar, tentar entender melhor e ser consciente assim de suas escolhas. 

Arriscamos a dizer, portanto, que informação e educação relacionadas à saúde são  o futuro. Mas o que temos notado? 

Temos observado dentro do modelo de cuidado integral no qual a Vitta baseia-se, que em 80% dos casos, o beneficiário poderia ter resolvido seu caso clínico em uma consulta e não ter sido exposto à procedimentos de pronto-socorro. Além do mais, nossa Equipe de Saúde, em 2020 realizou mais de 7 mil atendimentos encaminhados para uma consulta com a rede médica da Vitta, uma rede de excelência, exclusiva e dentro do plano de nossos beneficiários. O que isso implica? Implica que o profissional de saúde Vitta tenha acesso à jornada do membro, ao histórico de saúde e desfechos clínicos. Isso permite melhores desfechos clínicos, acompanhamento e cuidado periódico. 

Visando um mercado sustentável a longo prazo, entendemos que o profissional de Recursos Humanos continuará preocupado com a qualidade entregue em um plano de saúde e, por parte das empresas prestadoras desse serviço, tende-se a trazer mais informações sobre o melhor uso do plano de saúde.